Contos,Crônicas e Poemas de Ed.
Literatura, a arte que liga as pessoas o mais distante que elas estejam.
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

Areia do Rio
Havia preás no tempo da areia lavada
Que o Velho retirava do rio de águas acinzentadas
Que impediam a nossa travessia à margem da grama
Do modo que se afundava a cada dia

O Velho brigava com o rio no quotidiano
E somente o tempo conseguia a trégua
Enviando a chuva e a noite para cessar
As mãos que arrastavam a pá de grãos

Era o pão de cada dia a ser retirado
Para alimentar um punhado de crias
Que vivia no barraco ao lado
Enfincado no barro do topo do morro

E o bairro se expandia à custa do Velho
Suas casas erguidas pela riqueza da arte,
A areia garimpada pela força dos braços
E secada pelo coração da natureza



Ed Ramos
Enviado por Ed Ramos em 05/08/2018


Comentários