Contos,Crônicas e Poemas de Ed.
Literatura, a arte que liga as pessoas o mais distante que elas estejam.
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

Os Caçadores de Sorte dos Anos 80
Os Caçadores de Sorte dos Anos 80

Bichão e Manduba haviam acabado de conhecer duas minas, Michele e Taíza, e foram convidados a uma festa no Morro . Era aniversário do dono da Boca, irmão da garota do Bichão.
O “Baile Charme” era a febre dos ouvidos da rapaziada que com sua cultura negra apresentava na rua os seus deslizares arrebentando a “Boca do Balão”. No quintal da casa do “Homem” havia um festival de cervejas sendo consumidas pelos dois “Caçadores de Minas” que estavam naquele local apenas por ordem do destino, pois tudo era resultado da “Azaração”.
Os dois “Feras” estavam “Numa Nice” e depois de muito “Molhar a Palavra” resolveram ir embora. Já era tarde e suas respectivas companheiras, Michele e Taíza, desceram a rampa para conduzi-los ao “Carango” que Bichão estacionara no pé do Morro.
As portas do “Passat Caidinho” foram deixadas abertas, do modo que não seria necessário se preocupar pela razão do local ser protegido pela “Malandragem” onde tudo era “Limpeza”.
Entretanto, o namorado de Michele levou um susto ao perceber que tinham roubado a sua mais recente aquisição, o “ RádioToca Fitas” de mais nova geração que ele havia comprado com muito suor de seus braços. O garanhão trabalhava no “Ferro Velho” de seu pai, um ex-policial aposentado que parecia uma fera de tanto ciúme que tinha da sua filha donzela.
Houve uma indagação:
— Que que é isso! Na minha área não, vou chamar o meu irmão.
E logo chegou um pelotão armado de fuzis e cercou o carro distribuindo em cima do seu capô vários modelos de toca fitas e no meio-fio da rua alguns ladrõezinhos assentados ficavam desesperados com medo da escolha.
Nesse momento passava pelo local Xampa, um playboyzinho amigo da dupla que chegou ao ouvido do Manduba e disse baixinho:
— Eu estava passando, vi o carro do Bichão aberto e guardei o rádio na mala.
— Deixa quieto, Maluco! Senão “Vai Dá Rúim”.
Bichão leu os lábios de Manduba e escolheu o mais sofisticado aparelho da estante e viu o gatuno tomar um “Corretivo”.
“ Otário com sorte é malandro duas vezes”
Ed Ramos
Enviado por Ed Ramos em 02/11/2018


Comentários